Revista Tobillo y Pie | Vol. 03 – No. 01

Artigos Científicos publicados na edição Volume 03, Número 01. Faça o download da edição completa em PDF.

 

Osteotomía distal percutánea de los metatarsianos como método terapêutico para úlceras del antepie

Sapoznik, C. G. 1; Praninskis, G. 1; Suarez R. 1

1 Servicio de Ortopedia y Traumatología del Hospital Parmenio Piâero. Buenos Aires, Argentina.

RESUMO

lntrodução: As úlceras do pé diabético têm como fator etiológico a neuropatia diabética e o fator mecânico. Como ortopedistas, nós temos a maneira de modificar o 2° fator (mecânico) mediante osteotomias corretivas e descarga cirúrgica. Na atualidade possuímos novas tecnologias para efetuar as mencionadas osteotomias que são as cirurgias percutâneas ou minimamente invasivas. Propósito: Demonstrar que a osteotomia distal dos metatarsianos reduz os tempos para resolver ulceras diabéticas, já que se obtém uma descarga do decúbito e uma melhor distribuição de cargas. -expor a cirurgia percutânea como prática com menor morbimortalidade (pela mini-invasividade) e com a curva de aprendizagem concluída, é uma técnica rápida e simples. Critérios de inclusão: Ulceras refratárias a tratamento habitual,  diabéticos tipo 1 e 2, existência de úlcera prévia curada, até estágio 3 da escala de Wagner (incluído). Critérios de exclusão: Vasculopatia severa, amputação de mais de 1 dedo, osteomielite ativa, Wagner maior que 4. Material e métodos: Houve um seguimento de 32 pés com úlceras de janeiro de 2006 a janeiro de 2009. Grupo A: com tratamento conservador e desbridamento, total: 19 pés (59,375%). Grupo B: osteotomia distal com técnica minimamente invasiva. Total 13 pés (40,625%). Desenho de metodologia: descritivo, prospectivo, observacional, comparativo, experimental. A avaliação previa foi com radiografias de frente, perfil e oblíquas, medimos ângulos intermetatarsais, metatarso falângicos e parábola metatarsal. Baseamo-nos na Classificação de Wagner e na escala AOFAS (American Orthopaedic foot and ankle Society). Resultados: Foram avaliados 32 pés durante os 3 anos mencionados, com média de pontuação AOFAS no grupo A pré tratamento de 45,421 pontos e pós tratamento de 70,631 pontos, o que mostra uma melhoria de 25,21 pontos. A respeito do grupo B, o pré tratamento com média de 51,384 pontos, e o pós trata mento com média de 80,076 pontos, mostrando uma melhoria 28,692 pontos. Embora o número frio de 3,482 pontos de diferença a favor do grupo B seja pouco. A verdade é que existe uma tendência favorável no resultado final. Somado a isso destacamos o tempo médio no tratamento do grupo A que leva 6,89 meses versus o grupo B que leva 2,769 meses, significando uma diferença de 4,121 meses no tratamento das ulceras. Discussão: Não existe referência direta da literatura internacional sobre a cirurgia percutânea e o tratamento das ulceras diabéticas. Isto nos leva à difícil disjuntiva: Deve-se praticar uma técnica cirúrgica que não esteja mencionada como indicação para uma patologia? Como ciência medica e à luz dos resultados positivos da utilização cotidiana da mencionada cirurgia; além da experiência dos Professores Maria no de Prado (Espanha) e Stephen lsham (U.S.A.) ficamos motivados a iniciar esta apresentação. Conclusões: O tratamento com osteotomias mediante cirurgia percutânea: – é um método novo, cirúrgico, mini invasivo conforme as tendências cirúrgicas no panorama internacional. – reduz os tempos na resolução da ulcera, recordando que a imobilidade (repouso) no paciente diabético é elevadora da morbidade. -Menor quantidade de recidivas no grupo B. – Maior satisfação do paciente.

 

Luxaciôn Interfalángica de Hallux. Presentación de ocho casos y revisión de la literatura

Joannas, G. M. 1; Boero, S. 1; Chacón, M. 1; Niñio Gómez, D. 1; Arrondo, G. 1

1 lnstituto Dupuytren. Buenos Aires, Argentina.

RESUMO

Introdução: A luxação da articulação interfalângica do hallux (AIFH) e uma patologia pouco frequente, com apenas alguns casos descritos na bibliografia mundial. Miki estabeleceu uma classificação que a divide em 2 tipos segundo seu aspecto clínico e radiográfico. Em ambos os tipos a placa volar encontra-se avulsionada de suas inserções ósseas permitindo sua migração intra-articular e impedindo a redução por métodos ortopédicos. É por isso que nestes casos a redução cirúrgica e mandatória. Material e método: Entre 1995 e 2008, B pacientes foram avaliados, todos do sexo masculino, entre 21 e 46 anos de idade. Em todos os casos foi testada a redução ortopédica sob anestesia local sem obter resultados satisfatórios, e por isso foi necessário recorrer ao tratamento cirúrgico para restaurar a congruência articular. Resultados: Em todos os casos houve a redução da articulação de forma completa. A mobilidade articular no pós-operatório afastado foi nula em seis casos, nos dois restantes variou entre 10 e 20 graus de flexão, sendo isto não relacionável com a via de abordagem utilizada. Conclusões: A LIFH é uma patologia pouco frequente. A maioria reque r realizar manobras cirúrgicas para obter a redução. A via de abordagem utilizada e independente do resultado.

 

Hálux Valgo Leve e Moderado Sintomático: Tratamento Cirúrgico

Harris W. 1

1 Hospital Municipal Central de Osasco “Antonio Giglio”. São Paulo, Brasil.

RESUMO

Objetivo: Analisa r a correção cirúrgica do hálux valgo sintomático de leve ou moderada intensidade, com uma osteotomia distal subcapital do primeiro metatarsal, através de uma pequena incisão. Material: Foram estudados 16 pés (12 pacientes), com seguimento pós-operatório de 12 a 64 meses. Todos os pacientes apresentavam deformidades leves ou moderadas e dor com mais de um ano de duração. Resultados: Houve correção do ângulo intermetatarsal, ângulo de hálux valgo e ângulo articular distal metatarsal. Clinicamente houve melhora da deformidade e ausência de dor. Todos os pacientes ficaram satisfeitos com o resultado obtido. Conclusão: A técnica descrita é mais uma opção para o tratamento do hálux valgo leve ou moderado. É de execução simples e quase indolor.

 

Osteotomía de Akin percutanea combinada para el tratamiento det Hallux Valgus ¿Es una técnica segura? ¿Es necesaria [a osteosíntesis?

Yafiez Arauz, J. M. 1; Del Vecchio, J. 1; Aliaga, A. 1; Raimondi, N. 1

1 Sección de Pierna, Tobillo y Pie. Servicio de ortopedia y Traumatología. Hospital Universitario Austral. Derqui – Buenos Aires, Argentina.

RESUMO

lntrodução: A osteotomia de Akin é utilizada para o tratamento do hallux valgus em combinação com osteotomias metatarsianas e gestos articulares. O objetivo do presente estudo e determinar a segurança e efetividade da osteotomia de Akin percutânea e a necessidade ou não de fixação com osteossíntese da mesma. Materiais e métodos: Estudo retrospectivo de 78 osteotomias percutâneas tipo Akin. Anátise: cosmese e satisfação clínica; consolidação de osteotomia; e correção de ângulos (DASA e valgo interfalângico) comparando Rx. Pré-operatórias e pós-operatórias afastados. Fora m consignadas as complicações. Resultados: Consolidação em 100% dos casos. Correção do DASA com média de 8.45° e do ângulo IF com média de 5°. Melhoria cosmética com satisfação de 100% dos pacientes. Complicações: 4 casos de parestesia temporal, 3 casos de fechamento atrasado do portal e 1 caso de infecção superficial. Conclusões: Método seguro, com consolidação 100% e baixas complicações. Técnica efetiva com resultados clínicos e radiológicos satisfatórios. Sem necessidade de osteossíntese.

 

Aspectos ortopédicos de la Analgia congênita Hipohidrótica. A propósito de dos casos

RESUMO

A Analgesia congênita hipoidrótica com anidrose e uma forma autossômica recessiva de neuropatia sensitiva e autonômica. Não só é uma afecção pouco comum, também é difícil de tratar. Os critérios diagnósticos são: ausência universal de sensibilidade a dor, anidrose, sintomas de hiperpirexia desde os primeiros dias de vida e retardo mental. Foram analisados dois pacientes com Analgesia Congênita Hipoid rotica (ACH), uma menina de nove anos e um menino de doze. Ambos apresentaram fraturas, osteomielite, deformidades osteoarticulares e Artropatia de Charcot. O objetivo de nosso trabalho foi mostrar as dificuldades diagnosticas e terapêuticas da Analgesia congênita hipoidrótica.

 

Turf Toe. Reconstrucción anatómica de la placa plantar con uso de arpón. Informe de un caso y revisión bibliográfica

Gaytan, M. 1; Alcacer, M. Creta. 1

1Rosario, Santa Fe, Argentina

RESUMO

Técnica quirúrgica. Hallux Rigidus.  Procedimiento de Green-Watermann.

Maggi, P.; Niño Gomez, D. lnstituto Dupuytren. Servicio de pierna, tobilo y pie. Buenos Aires, Argentina.

Revista Tobillo y Pie | Vol. 03 – No. 01